Exposição Parada Portinari começa na Estação no Aniversário de São Paulo, comemorando 120 anos de nascimento do artista

Em homenagem aos 470 aniversário de São Paulo, a estação Higienópolis-Mackenzie da linha 4-Amarela do metrô será convertida em uma galeria de arte que exibirá as obras do artista brasileiro Candido Portinari.

A exposição apresentará não só a arte de Portinari, mas também sua poesia. Versos que retratam a realidade da cidade estarão expostos na plataforma de embarque do trem, ao lado de uma reprodução de ‘Retirantes’, uma das pinturas mais renomadas de Portinari.

A exposição pretende fazer mais do que apenas comemorar o aniversário da cidade e os 120 anos de nascimento do artista, que foi no dia 29 de dezembro. Procura democratizar a arte e torná-la acessível a quem, devido à correria do quotidiano, não consegue visitar os museus da cidade. A estação Higienópolis-Mackenzie, que recebe cerca de 30 mil passageiros diariamente, é o cenário perfeito para essa empreitada.

Renata Ruggiero, diretora executiva do Instituto CCR e diretora de Sustentabilidade, Inovação e Responsabilidade Social do Grupo, expressou que o objetivo é levar os museus às pessoas, e não apenas as pessoas aos museus. O Grupo CCR, acionista majoritário da ViaQuatro, que opera a linha 4-Amarela, recebe diariamente cerca de 3 milhões de pessoas utilizando seus serviços. Pretendem aproveitar este alcance para expor estes indivíduos à rica herança cultural do seu país.

Ruggiero acredita que apresentar a arte ao público expande sua compreensão de sua própria história, sociedade e país. Ela considera a obra de Portinari, que reflete a diversidade cultural do Brasil e de São Paulo, como uma representação ideal disso. O trabalho de Portinari, diz ela, capta muitas questões sociais e fornece uma imagem quase reflexiva da sociedade brasileira.

A exposição, batizada de ‘Parada Portinari’, apresentará 44 réplicas de obras de Portinari. Eles serão exibidos em painéis, portas de vidro em plataformas e escadas rolantes. Além disso, um vagão de trem será totalmente personalizado com as pinturas populares do artista, imergindo ainda mais os passageiros na experiência artística.

O túnel de acesso ao metrô será adornado com arte única inspirada nos renomados painéis Guerra e Paz, cujas versões originais estão expostas na sede das Nações Unidas, em Nova York. Renata descreve isso como uma experiência imersiva, semelhante a entrar na própria obra de arte. Junto com poemas e reproduções de obras de Portinari, os passageiros também serão informados sobre onde poderão ver as peças originais em São Paulo. Por exemplo, a obra ‘Retirantes’ de Portinari está abrigada no Museu de Arte de São Paulo (Masp).

Um dos destaques da exposição é o Carrossel Raisonné, um telão de LED que exibirá mais de 5 mil obras de Portinari. Isso equivale a mais de nove horas de projeção contínua para mostrar toda a coleção. O carrossel ficará situado no final de um corredor, próximo às escadas rolantes que levam às plataformas de embarque.

Renata se refere ao carrossel como um presente generoso para a cidade de São Paulo. É a primeira vez que tal iniciativa é realizada, com o objetivo de tornar toda a obra de Portinari acessível a todos e de forma gratuita. Ela prevê que os passageiros que passarem pela estação terão a oportunidade de vivenciar o carrossel em diversos momentos.

A exposição Parada Portinari, gratuita, começa hoje (25) e terá duração de um ano inteiro. Esta exposição faz parte do Projeto Centenários, uma iniciativa de homenagem do Grupo CCR que homenageia figuras ilustres da literatura, arquitetura, música e artes visuais brasileiras que comemoram ou já comemoraram seu centenário. Antes de Portinari, o projeto homenageou Tomie Ohtake, cuja obra está atualmente exposta na estação Faria Lima, da linha 4-Amarela.

Leave a comment